2008-03-05

Cada vez estamos mais seguros

Diário de Notícias: O crime violento desceu 10% em Portugal
Jornal de notícias: A testemunha dos crimes da noite do Porto que morreu carbonizado num Ferrari há dias, afinal não foi assassinado, só foi vítima de um acidente.
Portugal Diário: o homem esfaqueado no Colombo, parece que foi suicídio.
Ainda o Portugal Diário: O crime violento desceu sim em Portugal mas foi 30%.

Não há dúvida que estamos no bom caminho, ainda vão ver que este ano em Portugal nem 1 crime violento aconteceu, quem diz o contrário são só os agitadores profissionais a soldo não sei de quem !

3 comentários:

Anónimo disse...

Depois de ler este texto sobre a criminalidade violenta em Portugal não poderia de fazer um pequeno comentário.
Uma vez que esta é uma área que não me é indiferente profissionalmente . deixaria o seguinte comentário se me é permitido

Certamente esses órgãos de comunicação social, nunca tiveram em conta os dados lançados pelo Eurostat desde 95 ate ao ano passado.
Será que existe uma Percepção exagerada da realidade social? Não me parece, os portugueses vivem com cada vez mais um sentimento de insegurança e vejamos; estudos feitos nesta áreas:
"Portugal surge em terceiro lugar no ranking dos países da União Europeia onde mais aumentou o número de crimes violentos e de roubos desde de 1995 a 2007. Os dados são do Eurostat, que regista um crescimento na ordem dos 5 % do crime violento no País, que engloba violência contra as pessoas, roubo com violência e crimes sexuais. Em termos da criminalidade global, Portugal destaca-se também com um crescimento de 3%. A média da UE no mesmo período ficou-se nos 0,6%
. Portugal surge em terceiro lugar no ‘ranking’ dos países da União Europeia (UE) onde mais aumentou o número de crimes violentos e de roubos na década de 1995 a 2005. Os dados são do Eurostat, que regista, para o nosso país, um crescimento na ordem dos cinco por cento para os crimes violentos, logo a seguir à Holanda (6%) e à França (7%).
Relativamente aos roubos, a percentagem em Portugal cresceu também 5%, a par da Suécia, sendo o aumento deste tipo de criminalidade liderado pela Polónia e Eslováquia (8%), seguindo a França com 6%.
Em termos da criminalidade global, os Estados membros registam naquele período um crescimento na ordem dos 0,6 por cento. Portugal destaca-se com três por cento, significando uma das mais altas taxas de evolução negativa. Pior só a Polónia, com 5%, e a Eslovénia, com 10%.
Roubo (4,9%), tráfico de droga (4,2%) e crime violento (4,1) são os tipos de criminalidade que registaram maior aumento segundo os últimos dados do Eurostat relativos ao crime e à justiça criminal na UE.
Mas talvez esses meios de comunicação social estejam também a lançar noticias fidedignos uma vez que noutros tipos de crime como:
O roubo de veículos com motor diminuiu cerca de 5% na generalidade dos países da União Europeia.
Importa é perceber antes de ter uma estratégia para a combater, tentar perceber e entender esta criminalidade que deixou de ser localizada( vizinhos em questões de aguas), a criminalidade alterou-se qualitativamente, tem de haver uma estratégia , e actuar mais e aumentar os níveis de confiança dos cidadãos.
Não adianta expor estatísticas para dizer que a criminalidade está em baixa, as pessoas já não vão nisso.
Vários fenómenos tem contribuído para esses aumentos como;
Existe um desequilíbrio de exclusão social, perdas de referencias ,alterações comportamentais perdendo a formação moral, e o fenómeno transnacional com a crise social e o acesso as armas de maneira fácil, contribui em muito para a explosão eminente contundente a violência.

Fernando Monteiro da Rocha

ana disse...

Bom nao sou perita no assunto.
mas este post faz-me lembrar quando fui assaltada em Londres e fui a esquadra para dar conta do acontecimento. O policia nao me deu o formulario para assalto, mas sim para perda da minha carteira.
Quando lhe disse que nao tinha perdido nada, mas que alguem me tinha tirado a minha carteira sem eu lher dar autorizacao.
O Policia respondeu:
Mas como e que eu sei isso!!!!!!!!!!!!!!!

Fiquei a saber depois que a criminalidade naquela zona de Londres tambem estava a baixar!

Shana disse...

Claro que isto só se resolvia se a violência e o crime atingissem os membros do Governo! Aí sim, acredito que tomariam outras medidas de prevenção; aliás já as tomaram, pois esses senhores não dão um passo fora de casa sem uma comitiva de segurança atrás deles! Se tivessem tanta confiança na apregoada segurança do cidadão, não necessitariam certamente de tanta segurança particular.

O que acontece, é que o Governo está interessado em criar este clima de medo ou pelo menos não se importa de criá-lo se daí vierem benefícios financeiros. Basta ver as condições miseráveis em que os agentes da PSP vivem nas esquadras, ou o estado de algumas viaturas que lhes são distribuidas, para termos uma pequena ideia do interesse que o Governo tem pela nossa segurança.

Toda esta estratégia não tem outro objectivo que não seja desautorizar a polícia, criar um clima de medo na população e prepará-la para aceitar de bom grado a vídeo vigilância! Ao fim e ao cabo, o que esses senhores querem é retirar a polícia das ruas, diminuir os efectivos e os encargos com o pessoal e controlar o país através do olho gigante do Grande Irmão como referia Orwell no seu livro "1984".
Poderosos interesses financeiros devem estar por detrás desta abjecta campanha que tem como finalidade a lavagem de cérebro da população de modo a prepará-la para a instalação de milhares de câmaras de vídeo que nos controlarão de manhã à noite em todos os nossos passos fora de casa. Fora de casa, por enquanto, porque depois de aceitarmos ser vigiados mal pomos um pé fora de casa, também estaremos receptivos a outras invasões mais íntimas. O mal é começar, como dizia a minha avó!

Infelizmente o país parece estar entusiamadíssimo com a ideia de o Governo querer fazer de nós todos "actores" de um "Big Brother" nacional. Agora parece tudo muito bonito e seguro: as câmaras vão apanhar todos os bandidos, assaltantes e vigaristas e dentro de poucos meses Portugal será um paraíso de anjinhos e seremos uma enorme comunidade de gente boa e honesta aos beijinhos e abraços uns com os outros. Como se fossem as câmaras que vão impedir os assaltos ou os crimes feitos por indivíduos encapuçados ou com os mais variados disfarces para não serem reconhecidos! Basta ver a quantidade de filmagens que passam quase diariamente na televisão sobre assaltos a caixas multibanco! Algum daqueles indivíduos deixou de assaltar as caixas ou mesmo arrastá-las, por se sentir vigiado por uma câmara de vídeo?
Isto de pensarmos que as câmaras de vídeo-vigilância vão resolver o problema da criminalidade é o mesmo que os americanos pensarem que a pena de morte iria dissuadir os criminosos de levarem a cabo os mais hediondos crimes.

Alguém irá encher os bolsos com o negócio das câmaras e nós ficaremos cada vez mais sujeitos ao crime violento. Outros interesses mais obscuros estarão por detrás do negócio do medo, mas quando abrirmos os olhos (se chagarmos a abri-los) já será tarde!

A culpa não é só do Governo! É principalmente nossa, que nos calamos, que nos acobardamos perante a prepotência de um Governo que se habituou ao "Quero, Posso e Mando" e vê na população deste país um enorme rebanho de carneiros, controlado à distância por ferozes cães de guarda e que tem como única finalidade, a tosquia. A lã é boa e rende muuuuuito dinheiro!