2006-01-03

Morreu Cáceres Monteiro

Um dia, e um só dia, cruzei a minha vida com a de Cáceres Monteiro.
Partilhamos a palavra num Seminário em Trancoso, jantamos e conversamos no jantar que se seguiu.
Desse brevíssimo encontro ficou um registo no meu espírito:
Simpático ? Era-o, sem duvida, mas quem não é simpático num encontro social como aquele.
Interessante ? também, mas uma amiba, o movimento de uma folha ao vento, podem ser igualmente muito interessantes.
Outras qualidades humanas ? não me foi permitido avaliar com precisão, a partir desse fugaz encontro e dos escritos que deixou e que eu li.
Ficou apenas uma certeza, a mais importante, a cada vez mais rara e mais digna de respeito:
Cáceres Monteiro era, seguramente um “Homo sapiens”

1 comentário:

carlos arinto disse...

Pessoalmente não era dos meus "amigos" preferidos.
Nem gostava do que escreveu.
Era demasiado "director"
Demasiado politico.
Demasiado alinhadinho.
Mas um bom jornalista. Um óptimo repórter. Uma referencia na cultura, mesmo discordando e muitas vezes divergindo.