2004-09-17

A terna agressividade portuguesa

Ouvi, mais ou menos, este diálogo:
- Eh pá meu filho da puta, tu fazes-me isso ?
- Faço, porra, já te disse, não mereces mas faço.
- És um gajo porreiro pá, és um amigo do caralho, obrigadinho pá.
Em qualquer parte do mundo isto dava briga séria, aliás, cá também, era só mudar o contexto e a entoação.
Neste caso traduzia uma amizade sincera.

3 comentários:

Mofo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Nuno Jordão disse...

Exactamente.
O interessante, para mim, é a escolha das palavras-pontuação.

Nuno Jordão disse...

As minhas desculpas ao comentador Mofo, longe de mim retirar qualquer comentário e muito menos este que sito de memória:
"Há palavras que servem de pontuação" escrito pelo Mofo e que considero lúcido e pertinente.
Foi apenas a minha iliteracia bloguistíca que me fez retirar o comentário, sem querer.