2006-09-20

Necrofilia

Não sei o que me move, mas com uma disciplina espartana, diariamente ou quase diariamente, continuo a picar, a escarafunchar, nos meus “favoritos” uma série de blogues mortos, que algum dia me deram prazer e que agora permanecem mortos, inertes, há longo tempo, trazendo-me sempre a mesma monótona imagem gráfica, imóvel no tempo, que já está copiada no meu cérebro e que afasto logo com um novo “clique rápido”, para afastar o mau cheiro,
No fundo, bem lá no fundo, tenho sempre comigo uma secreta esperança no milagre.
Quem sabe? Pode ser que renasçam ainda um dia,. Quem dominará o espírito destes fantasmas criadores ?
Será que o blogueador viajou ? entrou numa crise existencial ? simplesmente está sem pachorra ? ou talvez esteja ansioso mas sem tempo ou ainda nos confins do mundo sem acesso à net. Quem sabe o que se passa? quem conhecerá estes meandros misteriosos?
E isto é válido mesmo para os de morte anunciada.
Blogue que se suicida é sempre um caso patológico para mim, tenho sempre esperança que com o tempo talvez passe essa doença.
E depois há todos aqueles casos de personalidade dividida, que morrem e renascem, sempre com outros nomes e com outra identidade.
É com imenso trabalho e imensas penas que os encontramos de novo. São uns brincalhões !
Mas talvez, se calhar, pura e simplesmente, a verdade seja só e apenas que já não quer mais, chateou-se descobriu que há mais mundo para além da blogosfera!.
Infelizmente a experiência tem me mostrado que isto são só devaneios meus.
A realidade é a de esperar em vão, até me cansar. Parece que alguns morrem mesmo de doença súbita.
Mas hoje, nessa minha peregrinação habitual, a minha persistência foi recompensada: não é que “Um americano em Lisboa” o excelente blogue do Professor Amaral Dias, saiu de um coma de cerca de 9 meses.
Sem alardes, sem dar nas vistas, como quem diz “fui ali comprar cigarros e atrasei-me um pouco, mas já cá estou de volta” e, como sempre, com um poste de grande lucidez sobre a bronca papal.
Espero que não seja apenas um sinal das chamadas “melhoras da morte”.Seja bem retornado ao mundo blogosférico, senhor Professor e venha para ficar.

3 comentários:

H. Sousa disse...

O hora absurda está em hibernação. Mas pode ser que volte, se a conjuntura actual se desconjuntar.

timor-deste disse...

Concordo em absoluto. Parabéns

Nuno Jordão disse...

Caro H. Sousa
Eu compreendo que um guerreiro tem por vezes que recuperar as suas forças.
Folgo em ler que ainda não está vencido de vez.