2005-06-24

Segundo fonte bem colocada.

Cresce em círculos ligados ao Governo a ideia da sua deslocalização para um país do Leste da Europa ou, eventualmente da Àsia, seguindo os múltiplos exemplos da economia privada e a fim de beneficiar da mão de obra barata aí praticada.

- Na Eslováquia, por exemplo, podemos beneficiar de um funcionalismo público, extremamente competente e de grande produtividade, sem os custos exorbitantes do funcionalismo português.
Nesta época de globalização e de novas tecnologias de informação, nada impede a gestão do país à distância permitindo a resolução definitiva do insuperável problema do défice.
O Património que não poder ser transportado será vendido em hasta pública.
A educação poderá recorrer à telescola e, para as forças de segurança, bombeiros e serviços afins que exijam a presença física de funcionários tiraremos partido da directiva Bolkestein, e pensamos utilizar, por exemplo, uma polícia Romena.
Também para o combate à evasão fiscal pensamos contratar fiscais Finlandeses ou Suecos.

Disse-nos a fonte bem colocada.

Entretanto os sindicatos ligados à função pública parece que já estão a organizar piquetes para impedir a saída do vasto equipamento e arquivos das diferentes repartições e serviços.

- Eles podem ir para o raio-que-os-parta mas nem um agrafador há de sair daqui.

Confidenciou-nos um dirigente sindical, também bem colocado.

2 comentários:

TNT disse...

Isso levanta alguns problemas como, por exemplo, os alunos terem que se deslocar à Tschetchenia para ter aulas, mas c***-se nisso. Os pais que paguem.

Anónimo disse...

Ora, isto é que é a globalização!
Telescola?! Não senhor! Agora os petizes vão começar a aprender o inglês desde a mais tenra idade - é a nova língua materna -, por isso, podem vir professores dos confins do planeta para transmitir uns (poucos) conhecimentos, servirem de baby-sitters, de psicólogos, de polícias, de pais e mães, etc., pelo preço da "uva mijona"! Por outro lado, quando estas criancinhas forem jovens adultos excluídos da sociedade portuguesa, podem carregar a mochila e ir para qualquer parte do mundo onde alguém lhes dê um prato de sopa e uma manta como pagamento da sua força de trabalho!
Este governo é muito "p'rá frentex", muito inovador...
Diria mesmo, demasiado inovador!