2007-07-13

A festa dos tabuleiros em Tomar

A SIC, em boa hora, tem dedicado, em horário nobre, uma série de reportagens a essa festa que se repete de 4 em 4 anos em Tomar e onde eu infelizmente nunca estive.
Hoje, o centro da preocupação e do espanto da “reporter” era o facto dos pesados tabuleiros serem, tradicionalmente, carregados por mulheres.
De facto hoje há um quase total desconhecimento de muita sabedoria ancestral de base rural, naturalmente.
Muitos transmontanos idosos, ainda conhecem a antiga expressão “peso de mulher”.
Não julguem os meus visitantes que “peso de mulher” se referia a um peso leve, mais apropriado para o sexo fraco, nada disso, a expressão “peso de mulher” era dedicado precisamente a peças, transportáveis mas muito pesadas, peças que só se podiam transportar à cabeça e só as mulheres sabem transportar à cabeça.
Porquê ? não sei, só sei que nunca se vê um homem levar coisas à cabeça (aliás hoje quase já se não vê ninguém) mas mulheres sim, haverá quem se lembre das varinas e das suas canastras ?
A física explica o facto de um grande peso se suportar melhor sobre a cabeça desde que se tenha uma postura recta, de cabeça levantada, olhando para diante.
Porque só as mulheres conseguem essa postura é que não sei se será por razões anatómicas ou culturais, mas é assim, sempre foi assim.
Via-se aliás na reportagem, nas entrevistas feitas, o orgulho daquelas jovens por estarem à altura daquela missão, por ainda hoje serem capazes de transportar dignamente um “peso de mulher”.

1 comentário:

Joana disse...

Não esquecer, pai, que as rodilhas (ou sogras) são essenciais para amortecer o peso e distribui-lo melhor na cabeça, ajudando ao equilibrio. Eu já experimentei e resulta mesmo. Consigo equilibrar um grande volume só com uma mão. Ainda não consigo colocar as duas à cintura, como as varinas.