2006-06-19

A voz dos avós que nos há de guiar à vitória

Quando Dulce Pontes cantou (aliás pessimamente) o hino nacional durante a cerimónia da bandeira das mulheres, a certo ponto cantou assim:

Oh Pátria ergue-se a voz
Dos teus egrégios avós
que hão-de guiar-te à vitória

Ora o que Henrique Lopes de Mendonça escreveu foi outra coisa:

Oh Pátria sente-se a voz
Dos teus egrégios avós
Que há-de guiar-te à vitória.

Quer dizer: nem a voz se ergueu nem são os avós, coitados que já morreram, que nos vão guiar à vitória, nada disso, é sua voz que se sente que o fará.
Todavia, quando isso se passou, eu não liguei muito, a Dulce baralhou-se um pouco ou alguém a enganou.
O caso torna-se sério quando vemos que um juiz decidiu não conceder a nacionalidade a uma cidadã cá radicada há anos e com filhos portugueses só porque não sabia a letra do hino nacional e depois, quando ontem no programa “O eixo do mal” da SIC notícias os comentadores debatem a questão dos símbolos nacionais, reproduzem esta passagem de Dulce Pontes e apesar de ser um programa de achincalhamento permanente a tudo e a todos, não fazem a mínima observação ao facto mostrando que também eles, tal como Dulce Pontes não sabem o hino nacional.
Não admira que tenham batido tanto no tal juiz, que aliás deveria ser mais cuidadoso ou a nacionalidade estará em risco para muitíssima gente.

6 comentários:

Eduardo disse...

Pois é tio, Reparei no erro.
Mas também vi que nem a própria SIC nem qualquer outro canal falou nesse assunto. Calhando, pouco lhes importa a letra do hino, Estrangeiros é que não!

Raqquel disse...

É claro que eu também reparei no erro e no mal que ela cantou, bem como na ausência de comentários ao facto.
Também me faz impressão quando vejo os jogadores da selecção a titubear o hino. À excepção de Luís Figo, que canta com pleno domínio da letra, todos tentam mas percebe-se perfeitamente que não sabem bem a letra.

Anónimo disse...

ver:http://nacionalidade.blogs.sapo.pt/

Suão disse...

O que preocupa, também, é o facto de a "menina Julio Isidro", sempre ter cantado mal.
Um problema, confundir uma boa voz com o cantar bem.
Coitado do Alfredo Marceneiro.

Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read »

Anónimo disse...

Keep up the good work » »